casa de encontro (2002)

photography

UM OLHAR SOBRE A CASA DE ENCONTRO

Conheci uma antiga “casa de encontro” (casa de prostituição) aqui em Salvador. Antigamente, este tipo de casa era muito frequentado por marinheiros, que desembarcavam no porto de Salvador. Assim que eles chegavam no porto, iam direto para os bregas da Ladeira da Conceição e Ladeira da Montanha, cidade baixa de Salvador para “encontrar” com as prostitutas.  Com o passar do tempo, casas mais modernas foram surgindo em outras áreas da cidade, fazendo com que essas antigas casas perdessem seu brilho e, com ele, boa parte de seus clientes. 

Por outro lado, a radiola continua tocando forró e música brega nas “alturas”, para animar e/ou acalentar os seus “fiéis” clientes. E sobre este embalo, guiados pelos corpos destas profissionais, estes homens vêm e vão, em encontros imediatos e objetivos. Entram, viajam neste ambiente e retornam a sua vida pura e simplesmente. 

Fiquei interessado por essas antigas casas de prostituição, conhecido popularmente como bregas, devido as marcas de sua história, muito bem representadas pelos seus casarios imponentes e decadentes. Uma história contada nas paredes e/ou nos olhos, rostos, costas, peitos, pernas, bundas... de suas cansadas moradoras. 

Meu estilo fotográfico busca trabalhar as cores e o jogo de pouca luz e sombra, que brincam com ambiente da vida cotidiana. Neste trabalho exploro bastante as cores Vermelha, Azul, e Verde,  muito vivas nos objetos, bichos, cantos e recantos, nas paredes rachadas e rabiscadas destes casarios. Retrato também o movimento das prostitutas em suas atividades cotidianas, movimento de corpos tão castigados pelo tempo. Corpos que contam muitas estórias. Corpos negros, morenos, brancos, índios; corpos magros, gordos; corpos jovens, velhos  corpos travestidos… Então, venho fotografando este ambiente há mais de 10 anos, e tentando entender um pouco deste universo de imagens fotográficas.


hirosuke kitamura 2007